Notícias

Reggie Fils-Aimé comenta sobre diversidade na indústria gamer: “lamentavelmente atrasada”

0

Reggie Fils-Aimé foi presidente da Nintendo of America de 2006 a 2019 e há pouco publicou um livro de memórias intitulado “Perturbando o jogo: do Bronx ao topo da Nintendo” e como parte de um tour para divulgação da publicação tem conversado com diversos canais de mídia sobre seus pensamentos e ideias ainda pertinentes sobre a indústria com a qual trabalhou por muito tempo.

Durante uma de suas conversas, ao site GamesIndustry.biz, o ex-presidente comentou sobre a diversidade na indústria dos games dizendo que tal está lamentavelmente atrasada em abraçá-la.

Você não vê [diversidade] nas fileiras executivas, não vê nas fileiras de liderança dos principais desenvolvedores. É incrivelmente difícil encontrá-la em vários jogos. […] Para mim, como um homem negro com meu tom de pele, cabelo, cachos e tudo mais, é difícil fazer um personagem se parecer comigo, e não deveria ser.”

Reggie Fils-Aimé

Reggie ainda comenta que às vezes pensava sobre ser o único homem negro em reuniões de alto nível da indústria, ou mesmo sobre o título de ser o primeiro negro americano a liderar a Nintendo of America. Durante a conversa ainda comentou sobre um momento em sua vida, em que em estreia na E3 para a Nintendo foi confundido com segurança por ser um homem negro alto de terno.

Isso é decepcionante, e certamente ficou na minha memória e continua ainda. […] Você precisa ver [diversidade] nos níveis abaixo do presidente ou executivo-chefe para ver o fluxo de pessoas que poderiam assumir esse papel de liderança em algum momento. Eu temo que vai nos levar algum tempo porque não vejo esse nível de diversidade um, dois ou três níveis abaixo. Ainda não está lá, e isso é uma declaração decepcionante de se fazer.”

Reggie Fils-Aimé

O ex-presidente também acredita que a responsabilidade sobre mudar esse cenário recai diretamente sobre a liderança: “Os líderes precisam pensar muito sobre a cultura que estão criando e perpetuando para que os funcionários para fazer o seu melhor trabalho.

Posso dizer com orgulho e confiança que, como liderei a Nintendo of America, moldamos a cultura de uma maneira muito positiva. Infelizmente, existem muitos exemplos de empresas que não criaram uma cultura eficaz. E não acredito que isso seja único para a indústria de jogos, mas acredito que temos muitos exemplos desse tipo de perpetuação de culturas ruins.”

Reggie Fils-Aimé

Fonte: Eurogamer

Neto Verneque
"A gente precisa normalizar o conceito do gamer ruim" - eu

Activision Blizzard | Funcionários criam comitê anti-discriminação para lutar por direitos e melhorias

Anterior

Freezer Pops | Visual novel da desenvolvedora de uma Drag Queen mineira chega ao Switch hoje

Próximo

Mais em Notícias