Análises

Review | RuPaul’s Drag Race Superstar

0

Ser uma drag queen custa muito, mesmo!

RuPaul’s Drag Race Superstar lançou (praticamente) de surpresa nas lojas Google Play e App Store e a versão game e mobile da competição de Drag mais famosa do mundo tem suas peculiaridades e detalhes interessantes que agradam a fãs da franquia e jogadores casuais de games mobile com as características bem conhecidas desses gamers, como vídeos de propagandas e funções pagas in-game. RuPaul’s Drag Race Superstar é interessante e me prendeu de uma boa maneira unindo dois estilos de jogos, mas infelizmente alguns recursos bem utilizados de jogos mobile podem estragar a experiência.

She Done Already Done Had Hersers

RuPaul já fez seu nome na indústria dos realities. Com um programa exclusivo que começou como uma paródia à America’s Next Supermodel, RuPaul’s Drag Race se tornou ícone da comunidade drag, levando nomes anônimos ao sucesso imediato e geralmente quando programas assim fazer sucesso, um videogame medíocre e feito rápido para capitalização sempre sucede. Com Drag Race no entanto, não foi tão rápido assim, já que o game mobile só apareceu agora após mais de 13 temporadas normais, diversas versões de outros países e versões All Stars com competidoras de outras edições.

E a parte do “medíocre” também não se aplica muito aqui, já que, apesar de algumas falhas gritantes de programação e abuso-mobile, é um jogo bem interessante e divertido. A premissa é simples e une alguns estilos de games já conhecidos do mundo mobile (nada de Candy Crush-style, o que é ótimo diga-se de passagem).

De um lado temos um clique-por-experiência, em que você monta, aqui no caso, uma estação de trabalho (Werkroom) e vai ganhando experiência por cada uma delas com o passar do tempo, completando missões, podendo evoluir tais estações para ganhar ainda mais experiência por tempo, liberando personagens do Pit Crew (como os do show), para também receber mais experiência por tempo e assim segue neste ciclo, até chegar a conclusão de Mini e Maxi Challenges.

Do outro lado temos os desafios, mini e maxi, em que você deve montar sua drag para competir com outra, seguindo algumas diretrizes de tema, como “Pop”, ou “Sexy”, “Fetish”, “Glitz”, entre outros você escolhe roupas que contém tais elementos e vence quem juntar mais pontos no total, sendo que cada item ganha um bônus dependendo de cada desafio. Um pouco como o aclamado Covet Fashion, montar o look de drag é a melhor parte do jogo, mas poderia ser ainda melhor, visto que muitas vezes você junta itens que não fazem nenhum sentido apenas para garantir uma pontuação melhor.

Não sei como tal parte do game poderia ser melhorada, mas falta esse sentimento de montar um look bonito ao invés de montar um look que ganhe. Apesar de sentir aquela falta de um polimento nas mecânicas dos desafios, eles não deixam de ser a melhor parte do jogo, já que vencer e garantir RuDollars ou chaves para abrir baús com novos itens, para montar looks cada vez mais interessantes é sempre legal!

Drag (NOT) on a Dime

Mas tem aquele porém, não é? RuPaul’s Drag Race Superstar é antes de tudo, é primeiramente um jogo mobile grátis. E como um jogo mobile grátis é recheado de microtransações, e aqui elas são muito importantes para um desenvolvimento rápido no jogo. RuPaul’s Drag Race Superstar é, infelizmente, um pay-to-win.

Quem gasta dinheiro, sem dúvidas evolui seu Werkroom mais rápido, consegue e evolui os melhores itens e assim se sai muito melhor nos desafios da história do jogo, e nos desafios entre jogadores, ganhando assim mais insígnias e conseguindo os melhores itens dos fechamentos de eventos e temporadas.

Gastando pouco, eu, por exemplo, não consegui alcançar todas as metas do evento de Halloween (que inclusive tinha Ivy Oddly como uma “guest character”, mesmo assistindo todas as propagandas para duplicar meus bônus. Se você conseguir fugir das ofertas aqui e ali, é possível aproveitar o jogo sem gastar.

Mas sem dúvidas você irá se frustar vez ou outra em não conseguir evoluir tão rápido ou não ter dinheiro para melhorar sua roupa preferida para aquele desafio. Fora esse fator realmente irritante, RuPaul’s Drag Race Superstar é sim um jogo que sabe apresentar seu universo e desafios de maneira bem divertida.

Shantay You Stay

Aqui a trilha sonora é, como na grande maioria dos jogos mobile, nada memorável. Afinal, quem joga mobile com volume alto, não é? Mas as risadas de RuPaul usadas nas transições já valem pelo menos uma vez ou outra jogar com áudio. É um jogo simples, bem “mobile”, mas que tem sua parcela de diversão, principalmente ao montar seus looks bafônicos!

Com trocadilhos muito bem feitos, todo o universo de RuPaul bem trabalhado, RuPaul’s Drag Race Superstar se apresenta como um jogo casual para quem gosta do mundo de realities drag e que não se frusta em um jogo que demore para evoluir sem gastar seus ricos e reais RuDollars.

 

Review | RuPaul’s Drag Race Superstar
Veredito
RuPaul's Drag Race Superstar traz um conceito interessante misturando dois gêneros de jogos mobile em uma grande homenagem a cultura Drag, mas falha no exagero das funções pay-to-win e na superficialidade da competição de looks.
História/Conceito
8.2
Gameplay
6
Diversão
8.5
Design
7
Som/Trilha
5
Prós
Montar looks drags é divertido
Jogo simples, casual e viciante
Trocadilhos muito bem feitos
Detalhes do universo de Drag Race são ebm trabalhados aqui
Contras
Muito pay-to-win
Foca demais em compras
Concursos por vezes parece sem sentido
6.9
Drag NOT on a Dime

[Nota do Editor: RuPaul’s Drag Race Superstar foi analisado a partir da sua versão para Android]

Neto Verneque
"A gente precisa normalizar o conceito do gamer ruim" - eu

Dead by Daylight confirma apoio à diversidade e trará personagem queer ao game

Anterior

Hades | Zagreus, Thanatos e o amor grego

Próximo

Em Alta