A Activision Blizzard concordou em pagar US$ 54 milhões para resolver um processo de discriminação sexual que data de 2021. Segundo informações do Wall Street Journal (via VentureBeat), o acordo foi fechado com o Departamento de Direitos Civis da Califórnia. O caso, que se refere a alegações de remuneração desigual e práticas de promoção com base no sexo no período de 2015 a 2020, vem à tona após a aquisição da empresa pela Microsoft em outubro. Do montante total, US$ 46,75 milhões serão destinados às funcionárias que afirmaram ter recebido salários desiguais, e os restantes US$ 9,125 milhões serão utilizados para cobrir os honorários advocatícios.

De acordo com o acordo pendente de aprovação judicial, a Activision Blizzard implementará medidas adicionais para assegurar práticas justas de remuneração e promoção, conforme estipulado pelo Departamento de Direitos Civis da Califórnia (CRD). O acordo também menciona que a investigação não identificou nenhuma irregularidade cometida por Bobby Kotick, CEO da Activision Blizzard, ou por seu conselho. Embora peritos do estado tenham observado disparidades salariais gerais entre homens e mulheres, não foi constatada diferença de salários entre funcionários do mesmo nível.

“A Califórnia continua profundamente comprometida em promover e fazer cumprir os direitos civis das mulheres no local de trabalho. Se aprovado pelo tribunal, este acordo representa um grande avanço e trará alívio direto aos trabalhadores da Activision Blizzard. No Departamento de Direitos Civis da Califórnia, continuaremos a fazer a nossa parte para lutar pelos direitos dos residentes do nosso estado.”

Kevin Kish, Diretor do CRD

A Activision Blizzard disse em um comunicado estar satisfeita com os termos do acordo com o Departamento de Direitos Civis da Califórnia (CRD).

“Apreciamos a importância das questões abordadas neste acordo e estamos empenhados em implementar integralmente todas as novas obrigações que assumimos como parte dele.

“Queremos que nossos funcionários saibam que, conforme especifica o acordo, estamos comprometidos em garantir políticas e práticas justas de remuneração e promoção para todos os nossos funcionários, e continuaremos nossos esforços em relação à inclusão de candidatos qualificados de comunidades sub-representadas na divulgação, recrutamento, e retenção.

“Também estamos satisfeitos que o CRD tenha concordado em apresentar uma reclamação alterada que retira totalmente suas reivindicações de 2021, alegando assédio generalizado e sistêmico no local de trabalho na Activision Blizzard.

Fonte: Videogames Chronicle