Jogos de simulação com habitantes antropomórfico não são incomuns e geralmente são boas receitas de sucesso. Animal Crossing é um ótimo exemplo. Critter Cove, da desenvolvedora e publisher tinyBuild, também vai na mesma linha com uma premissa semelhante e um mundo colorido tal qual, mas as diferenças também são notáveis, a começas pelo criador de personagem que, além de ser inclusivo e trazer pronomes neutros, também deixam você próprio ser um personagem antropomorfo. De lupinos a aves e dragões você também pode criar seu próprio animal com feições humanas para comandar esse arquipélago tropical.

Como em diversos jogos do gênero, sua missão aqui é reconstrir esse local que um dia foi um paraíso tropical. Coletar lixos, madeira, pedras, construir e reformar lugares, casas, e tornar o ambiente cada dia mais convidativo para que novos personagens surjam e sejam seus novos vizinhos nessa aventura. Critter Cove traz uma arte em 3D que lembra jogos de plataforma como New Super Lucky’s Tale e Yooka-Laylee.

O jogo ainda tem alguns problemas técnicos, principalmente referente a frames, claro que dependendo da máquina que se use para jogar o jogo isso pode ser facilmente contornado. No entando, o maior defeito de Critter Cove é infelizmente ter uma fórmula já batida. Jogos de gerenciamento, simulação, ou os chamados jogos de fazendinha tem estado muito em um nível de segurança e inovam pouco ou trazem pouco carisma e personalidade tanto para o mundo quanto para os personagens, e Critter Cove infelizmente também sofre um pouco disso, com um pouco de falta de carisma e personalidade que podem evoluir sim se a comunidade e os desenvolvedores trabalharem juntos.

A fórmula aqui é simples e traz mecânicas já muito vistas em jogos semelhantes. É possível coletar materiais, craftar bancas de criação, itens de decoração e itens funcionais como pás, machados, para coletar ainda mais materiais. A ilha tem alguns habitantes e com a evolução dela, novos devem aparecer. O ponto aqui é ir além e se Critter Cove ter o cuidado que teve com a criação do mundo e do criador de personagens para o futuro do jogo, ele pode sim ir mais além.