E de onde se menos espera pode surgir um simples e efetivo suporte a comunidade LGBTQ+. Dessa vez, veio do popular jogo mobile de física com aves e porcos Angry Birds. A franquia se expandiu muito com o sucesso do jogo lançado em 2009 , chegando às telas da televisão e do cinema, com parcerias de peso, como Star Wars, e praticamente é atualmente um ícone cultural.

O jogo foi desenvolvido por uma equipe da Finlândia e o finlandês não possui pronomes de gênero, e esse foi o ponto inicial de uma postagem no Facebook oficial do jogo que ganhou elogios e aclamação da comunidade:

Os pronomes pessoais são apenas substantivos que você pode usar para se referir às pessoas em vez de seus nomes! Muitos idiomas têm pronomes de gênero, então às vezes vale a pena especificar quais pronomes funcionam para você!

Se você não tem certeza de quais pronomes usar para alguém, sempre pode perguntar! e se você escorregar e usar os errados, não é o fim do mundo. Apenas peça desculpas, corrija-se e continue com sua ótima conversa.”

A postagem, também compartilhada no Twitter do jogo, acompanha uma imagem mostrando três personagens do jogo: Stella, Red e Jo, e seus respectivos pronomes: Ela/Dela, Ele/Dele, Elu/Delu.

Apesar da enxurrada de comentários negativos (como sempre!), muitos fãs elogiaram a explicação simples para o assunto polêmico. A Rovio, empresa detentora da IP, tem sido bastante enfática no suporte a comunidade LGBTQ+ através do jogo Angry Birds, que neste mês tem publicado diversas artes dedicadas ao Mês do Orgulho.

Red é o aliado que não esperávamos, mas ficamos felizes em tê-lo.

Fonte: Pink News