Mês passado, a desenvolvedora Respawn Entertainment anunciou a nova personagem a ingressar ao shooter multiplayer Apex Legends, Catalyst. A campeã é a primeira personagem trans do jogo e muitos ditos ‘fãs’ já têm sido bastante transfóbicos com a adição.

As comunidades de muitos jogos infelizmente continuam tendo pessoas que não aceitam inclusão de diversidade e são bem vocais quanto a isso. Um exemplo é que há ainda quem não aceite Bloodhound, presonagem não binário que está no jogo desde o começo, como tal. E por isso a empresa fez questão de comentar sobre a nova personagem que está chegando ao jogo.

Ashley Reed, escritora principal do jogo, conversou com o jornal The Sun sobre o assunto da identidade de Catalyst:

Se você não for sincero sobre isso, as pessoas encontrarão maneiras de negar. […] Eles vão dizer: ‘Não foi isso que você quis dizer’. Vimos pessoas dizerem: ‘Ah, não, não foi isso que eles queriam dizer’.

Estamos cercados por um monte de pessoas muito diversas em nossas próprias vidas, então só faria sentido que o futuro refletisse isso, e esse elenco refletisse isso porque eles são de todo esse lugar futuro. […] Então é meio inevitável e se você tiver um problema com isso, o Apex não é para você.”

Ashley Reed, escritora principal do jogo

No trailer que explora o poder de Catalyst e sua história de fundo, a lenda fala abertamente sobre sua transição e ser trans – a primeira vez para qualquer uma das lendas LGBTQ + envolvidas no jogo battle royale. Se o Apex Legends queria fazer uma declaração, certamente o fez com a inclusão aberta e orgulhosa do Catalyst.

E não importa o quão transfóbico você possa ser, é óbvio que o Catalyst está aqui para ficar e arrasar no Apex Legends por muito tempo.

Fonte: Gayming Mag