Foi bem divertido descobrir que Omni-Man, Pacificador e Capitão Pátria estão escalados para estrear na primeira DLC de Mortal Kombat 1. E a tradição de integrar rostos famosos de outros universos em Mortal Kombat não é nova, já que nos deliciamos com as aparições de Freddy Krueger em Mortal Kombat de 2011, Leatherface em Mortal Kombat X e o Coringa em Mortal Kombat 11. Há ainda rumores circulando de que outro ícone do terror está prestes a fazer sua entrada triunfal na segunda DLC do mais recente título da franquia: Ghostface. E quem poderia esquecer as entradas épicas do Exterminador do Futuro, Rambo, Jason Voorhees, Kratos e Robocop, que adicionaram uma nova dimensão de combate e narrativa ao reino de Mortal Kombat?

No entanto, ao celebrar estas colaborações incríveis, não podemos deixar de notar o tanto de testosterona presente, além de uma lacuna evidente: a ausência de guerreiras mulheres vindas de outros universos na lista de colaborações da franquia. A diversidade de personagens sempre foi um pilar no universo de Mortal Kombat, com lutadoras formidáveis como Sonya Blade e Kitana. Então, por que não expandir esse legado feminino trazendo personagens femininas icônicas de outros universos para o campo de batalha?

A ideia de ver a Hera Venenosa, a sedutora vilã botânica bissexual da DC Comics, ou Beatrixx Kiddo, a noiva vingativa da franquia Kill Bill, trocando golpes com Scorpion e Sub-Zero é excitante, para dizer o mínimo. As possibilidades são vastas e intrigantes com muita mulher poderosa que pode agregar ainda mais ao roster de lutadores convidados. Nesta coluna, exploraremos uma variedade de propostas e ideias para colaborações femininas em Mortal Kombat, ponderando sobre como essas guerreiras de outros universos poderiam ser integradas de maneira criativa e impactante no jogo.

Beatrix Kiddo

Com espadas em punho, uma sede insaciável de vingança e muito sangue, a protagonista da história de vingança Kill Bill não é estranha a mergulhar na chuva de sangue e vísceras que Mortal Kombat pode proporcionar. Apesar de ser uma franquia antiga, a personagem Beatrix Kiddo (também conhecida como A Noiva) e seu traje amarelo são tão icônicos que sem dúvidas mereceriam um espaço para usar suas habilidades contra Johnny Cage ou Raiden.

Temos diversos kombatentes que utilizam armas brancas em suas lutas e a espada Hatori Hanzo de Beatrix seria uma ótima adição a todos os acessórios da franquia. A possibilidade de ver Beatrix manejando sua espada não só promete uma expansão empolgante do arsenal de armas do jogo, mas também uma ode ao poder e resiliência e vingança de uma mulher poderosa.

Hera Venenosa

Já tivemos Coringa como convidado e a Arlequina como uma re-skin de Cassie Cage, por isso, nada mais justo que outra grande vilã da DC Comics conseguir seu lugar entre os lutadores mais poderosos do universo. A Mulher-Gato pode ser até mais conhecida, mas a sedutora e perigosa Hera Venenosa se destaca como uma candidata inigualável para adentrar as arenas sangrentas de Mortal Kombat. Com sua habilidade singular de manipular a natureza, Hera Venenosa traz à mesa um estilo de combate que pode florescer em inovação e diversão nas batalhas já intensas do jogo.

A entrada de Hera Venenosa não apenas homenagearia a rica tapeçaria de vilãs da DC, mas também colocaria uma dose de criatividade selvagem a Mortal Kombat. Uma luta entre Hera Venenosa e os ícones de Mortal Kombat promete ser um espetáculo visual e tático, onde cada golpe pode desencadear uma explosão de folhagem fatal ou uma teia de controle mental que poderia virar a maré da batalha de maneiras surpreendentes e divertidas.

Carrie

Os ícones do terror já foram inseridos no universo de Mortal Kombat, então por que não trazer uma poderosa mulher com poderes telecinéticos e já acostumada com matanças e muito sangue? A personagem criada por Stephen King atormentada pela mãe e pelos colegas de escola, tem uma raiva fervente e uma habilidade de manipular objetos e adversários com sua mente, que apresenta um perfil de kombatente que poderia trazer um novo grau de terror e intensidade para o jogo

Imagine um Fatality executado por Carrie: uma orquestra de caos telecinético onde cada objeto no campo de batalha se torna uma extensão de sua fúria vingativa, culminando em um espetáculo sangrento que poderia muito bem redefinir os limites de brutalidade na franquia. Carrie não é apenas uma proposta intrigante para um DLC, mas uma que promete explorar a sinergia entre o horror e a luta, ampliando as fronteiras de Mortal Kombat em um ballet de horror telecinético.

Sarah Kerrigan

Os vastos cosmos já foram palco para batalhas épicas no universo de Mortal Kombat, então por que não introduzir uma mestra da manipulação psíquica e estrategista militar do universo de StarCraft? Sarah Kerrigan, uma vez uma terrana com habilidades psíquicas excepcionais, foi transformada pela colmeia Zerg em uma das entidades mais temidas da galáxia: a Rainha das Lâminas.

Com sua mente afiada e lâminas mortais, Kerrigan já liderou exércitos de Zergs em batalhas que decidiram o destino de galáxias inteiras. Suas habilidades telecinéticas, combinadas com seu comando sobre as forças Zerg, a tornariam uma adversária formidável nos domínios de Mortal Kombat. Imagine a espetacularidade de um Fatality executado por Kerrigan, onde ela convoca um enxame de Zergs para consumir seu oponente, ou utiliza suas lâminas psíquicas para uma execução precisa e brutal.

Lady Sylvanas

Atirando flechas ameaçadoras, Lady Sylvanas Windrunner, a Rainha Banshee do universo de World of Warcraft, é uma figura que poderia deslizar perfeitamente para o tumulto sangrento de Mortal Kombat. Seu passado trágico, transição de uma elfa nobre para uma soberana morta-viva, carrega a espécie de dor e fúria e seu comando sobre os mortos-vivos e habilidades com o arco são uma combinação mortal que poderia oferecer uma dinâmica nova e emocionante nas lutas do jogo.

Imagine um Fatality onde Sylvanas convoca um enxame de almas vingativas ou desencadeia uma saraivada de flechas banhadas em sombras sobre seu adversário. A adição de Lady Sylvanas não só traria uma lufada de ar (ainda que fria) do reino de Azeroth para Mortal Kombat, mas também poderia ser uma ponte para uma colaboração mais ampla entre esses dois universos grandiosos.

Senua

A guerreira celta atormentada de Hellblade, Senua, é uma personagem que poderia trazer uma profundidade sombria e visceral ao universo de Mortal Kombat. Sua jornada através das paisagens infernais de sua própria mente, lutando contra demônios tanto reais quanto imaginários e sua lâmina afiada, combinada com sua determinação inabalável e visões perturbadoras, oferecem uma mecânica de combate que poderia ser tanto visualmente arrebatadora quanto emocionalmente carregada no campo de batalha.

Imagine um Fatality onde Senua arrasta seu adversário para as profundezas de sua mente atormentada, submetendo-o a um terror indescritível antes de libertá-lo com um golpe final devastador de sua espada. Ou talvez, uma sequência em que as vozes que a assombram se tornam visíveis e ajudam a desmembrar o inimigo, uma manifestação tangível de sua luta interna. A entrada de Senua em Mortal Kombat não seria apenas uma colisão de lâminas e sangue, mas também uma exploração do que significa lutar contra demônios internos e externos.

Wanda Maximoff

Uma mestra em manipulação de realidade e bem sanguinária como Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate, seria um espetáculo à parte como uma nova kombatente DLC de Mortal Kombat. No entanto, não seria fácil trazer a personagem da Marvel para o reino de Mortal Kombat já que a Warner Bros, que detém os direitos sobre Mortal Kombat, também é lar da DC Comics, concorrente direta da gigante dos quadrinhos Marvel que é dona da Feiticeira Escarlate.

Ainda assim, a imaginação flui livre sobre como seria se a Wanda pudesse desafiar os kombatentes de Mortal Kombat, reescrevendo a realidade do campo de batalha com o estalar de dedos, criando cenários de pesadelo para seus adversários. Um Fatality executado por ela poderia ser uma viagem surreal e aterradora por realidades despedaçadas, deixando o adversário perdido em um caos de existência fragmentada antes de ser aniquilado por um último golpe de magia caótica.


Outras ideias ainda mais distantes do possível, mas, ao mesmo tempo, empolgantes ao extremo, são: Lilith de Diablo IV, Bayonetta da franquia homônima, e até Lara Croft ou Jill Valentine de Tomb Raider e Resident Evil respectivamente, que detêm um potencial imenso para revigorar o universo de Mortal Kombat. A gama de possibilidades é vasta, e mesmo que a presença marcante do machismo na sociedade e na indústria de games possa ter limitado a representação de vilãs sanguinárias, ainda há uma variedade de ideias e possibilidades para explorar em futuras DLCs.

A incorporação destas poderosas personagens não apenas quebraria a monotonia do predominante clube masculino nos próximos conteúdos de Mortal Kombat 1, mas também traria uma onda refrescante de ‘girl power‘ para o campo de batalha. Este movimento pode muito bem ser um passo audacioso para desafiar os estereótipos arraigados e celebrar a diversidade de força e ferocidade que as personagens femininas podem oferecer nas partidas de luta de Mortal Kombat.

E para você, quais outras poderosas personagens de filmes, séries, games poderiam integrar o universo de Mortal Kombat em uma futura DLC? Dê sua ideia nos comentários abaixo!