Horizon é uma das grandes franquias de jogos da PlayStation e da Guerrilla Games atualmente, contando já com um anunciado terceiro título em desenvolvimento. Horizon Forbidden West foi o segundo título da série e a sua DLC Burning Shores foi recebida com avaliações mistas do público principalmente pela escolha dos desenvolvedores de elaborar a relação romântica entre Aloy e Seyka com inclusive um beijo (mesmo que opcional). Isso levou a um review bombing da DLC, uma ação coordenada de pessoas rasas para baixar a nota de jogos em sites como Metacritic por conta de conteúdo – que eles ainda acham – polêmicos.

Em recente entrevista ao site Videogames Chronicle, os desenvolvedores comentaram sobre a decisão do final da DLC e a review bombing recebida no jogo decorrente do lançamento da DLC, veja abaixo alguns pontos principais abordados por eles. Entenda que possa haver spoiler do jogo nos parágrafos a seguir.

Durante os eventos de Burning Shores, Aloy conhece Seyka, uma “fuzileira naval ambiciosa da tribo Quen que se esforçou para ajudar seu povo a sobreviver“. A personagem foi apontada como uma contra partida a Aloy, com a atriz que dá voz a personagem titula. Ashly Burch, dizendo “Aloy pode ter encontrado seu par“. No fim da DLC, um caminho de escolhas de diálogo pode levar ao beijo entre as duas personagens o que levou toda essa crítica de parte da comunidade gamer, aquela parte que já conhecemos bem.

Ben McCaw, diretor de narrativa, e Annie Kitain, escritora principal, discutiram mais sobre essa reação na entrevista, afirmando que apreciam feedback construtivo, mas consideram os comentários desnecessariamente negativos “muito fáceis de ignorar“.

“Adoramos quando eles têm um feedback construtivo sobre isso ou aquilo. E ficamos muito felizes quando eles dizem que não gostam disso ou daquilo, em relação a praticamente qualquer aspecto do jogo em que realmente pensaram. […] Mas quando há apenas esse tipo de negatividade flagrante, eu pessoalmente acho muito fácil apenas compartimentalizar e perceber que essa é uma mentalidade com a qual nunca consigo me contentar e esse tipo de coisa.”

Ben McCaw

Quanto ao final que os desenvolvedores acreditam ser canônico, não é o caso de Aloy ser gay ou hetero. Em vez disso, a escolha final de Burning Shores é mais sobre um reflexo da jornada de Aloy em Horizon Zero Dawn e Forbidden West.

“[As escolhas finais de Burning Shore] são realmente uma continuação de um tema que temos em ambos os jogos, sobre ela não estar pronta para vários tipos de contato social, por causa de sua educação, mas também por causa dos enormes desafios que ela enfrenta pela frente.”

Ben McCaw

Annie Kitin, por sua vez, cimentou o fato de que os sentimentos de Aloy por Seyka “ainda são verdadeiros“, mas a opção de ver o casal se beijando ou não é mais sobre “se o jogador acha que Aloy está pronta para dar o próximo passo e ter esse encontro romântico. ou se Aloy ainda não está lá“. De qualquer forma, “é válido“, explicou Kitin. Os sentimentos de Aloy e Seyka são válidos, independentemente de se beijarem ou não.

Fonte: Eurogamer